quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

A Hipótese do Caçador-Coletor

Elaborei isso aqui lendo "A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado" de Engels, do qual discordo mt. Posta a recorrência de certos padrões de gênero dominantes, achei válido elaborar uma hipótese a ser comprovada sobre o tema. Opinem, por favor. A questão básica é: por que o papel de gênero de "guerreiro", forte e honrado está geralmente associado ao homem e, quando associado às mulheres, esse mesmo papel as torna dominantes? Por que o gênero dominante costuma reproduzir essa elaboração? E quando isso não acontece, por que não acontece? Qual a relação da propriedade privada com isso?


À Centralidade das tarefas domésticas (agricultura, educação, artesanato) numa dada organização social/modo-de-produção correponde uma organização social comunista da produção/distribuição;
À Centralidade das tarefas externas (caça, coleta, guerra) numa dada organização social/mdp corresponde uma organização social hierarquizada e geralmente privatizada da produção/distribuição;

Isso pq à primeira correspondem tarefas coletivas, que exigem a participação mútua; à segunda correspondem tarefas coletivamente feitas, mas individualmente executadas e cujos resultados são individuais. Os segundos estimulam a apropriação particular da produção e a hierarquia entre os membros.


Na primeira, as tarefas da segunda são menores, mas necessárias; na segunda, as primeiras são complementares, mas hierarquizadamente inferiores. Geralmente, por motivos certamente históricos de origem, às mulheres corresponde a primeira e aos homens a segunda, daí as estruturas comuns do patriarcado e do matriarcado;

A primazia da caça-coleta exige territórios e recursos possivelmente escassos - isso pode ser a origem da guerra, que pode ter gerado a escravidão a partir da percepção da utilidade dos corpos vivos (provavelmente, comparados com os animais) separados pelas vidas clãnicas e desumanizados, e sua apropriação pelos caçadores. A paz e o Estado proveriam de um acordo entre clãs mt fortes, provavelmente para dominar outros clãs, combinar uma ordem entre os seus e controlar os escravos conjuntamente (que já deviam ser maiores em número que os donos) como uma compania de comércio. Internamente aos clãs e no início do Estado, os elementos de moral interna ao clã agricultor tornam-se elemento de poder interno do clã e sua hierarquia gerando as estruturas comuns ao aptriarcado, que seria a caçadora-coletora desenvolvida em que o papel caça-coleta é masculina;

Isso explica o poder interno dessas sociedades e as sociedades em que as mulheres cumprem um papel dominante, às vezes com o papel "masculino", às vezes "feminino", segundo nossos padrões.

Um comentário:

  1. Cara tem algumas teorias que associam essa hipótese do domínio do caçador sobre a tribo com ao aspecto de subsistência e disponibilidade de recursos. A outra hipótese é a questão da violência, e sua influência nas organizações sociais e consequentemente na moral. As duas hipóteses lidam com a questão de sobrevivência humana (cultural-física e social) através de caminhos distintos.

    ResponderExcluir